Governo Pretende Acabar com PIS PASEP nos Próximos Anos - Calendário do PIS 2016 - Saiba Como Consultar o PIS 2016

Social Profile Icons (Do Not Edit Here!)


Ao que tudo indica parece que o governo vai parar de pagar o pis pasep daqui a 5 anos, existe um rombo de 19,7 bilhões no FAT ( Fundo de Amparo ao Trabalhador e isso prejudicará milhões de trabalhadores em breve saiba mais aqui:


Rombo Bilionário no FAT pode Acabar com PIS PASEP


A notícia foi dada pelo Jornal o Globo esta semana e traz a tona uma realidade muito dura para o trabalhador brasileiro, depois do FGTS ser literalmente sugado para pagar as contas bilionárias dos investimentos em empresas no exterior do BNDES agora é a vez do PIS PASEP.

Ao que tudo indica governo dexaria de pagar 19,7 bilhões de reais em benefícios aos trabalhadores que possuem direito ao abono salarial todos os anos por conta de um rombo bilionário que se arrasta a um tempo dentro do FAT.


PIS PASEP pode Acabar em Breve, Por quê? 


O orçamento do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), que será aprovado pelo Conselho Deliberativo do Fundo (Codefat), na próxima semana, prevê um déficit histórico de R$ 19,7 bilhões em 2015 — ou seja, 54,6% maior que o resultado negativo projetado para este ano, de R$ 12,7 bilhões. O aumento real do salário mínimo — que tem impacto nos gastos com seguro-desemprego e abono salarial (PIS) — e as desonerações autorizadas pela equipe econômica (PIS/Pasep) são os principais fatores de pressão nas contas do Fundo. Mantidas essas condições, o patrimônio do FAT poderá se exaurir em cinco anos, segundo projeções de integrantes do governo.


Governo Pretende Acabar com PIS PASEP nos Próximos Anos

 
— O FAT não dura mais do que cinco anos. O buraco (déficit) vai engolir todo o patrimônio do Fundo — disse uma fonte que acompanha as contas.
De acordo com a proposta orçamentária para 2015, as receitas com as contribuições do PIS/Pasep, principal fonte do Fundo, estão projetadas em cerca de R$ 60 bilhões, e o total de despesas, em torno de R$ 80 bilhões. Esse déficit terá que ser coberto pelo Tesouro, ou o Codefat terá que pedir de volta parte dos recursos do FAT destinados ao BNDES.

. - O GLOBO

No início deste ano, o Codefat enviou correspondência ao BNDES, alertando que a instituição poderia ser obrigada a devolver R$ 10 bilhões do patrimônio do Fundo no segundo semestre. Normalmente, o banco repassa somente a rentabilidade das aplicações.
Por determinação da Constituição, o FAT repassa anualmente 40% das receitas totais para o banco. Além disso, 20% da arrecadação vão para o Tesouro Nacional, via Desvinculação das Receitas da União (DRU), e podem ser aplicados em outros fins.

O presidente do Codefat, Quintino Severo, que faz parte dos quadros da CUT, disse não acreditar que o patrimônio do FAT acabará nos próximos anos. Segundo ele, a economia brasileira precisa de estímulos neste momento, mas no futuro haverá espaço para recompor as receitas.
— O FAT é importantíssimo para o país. Não acredito que o governo deixará isso acontecer — disse Severo, acrescentando que a DRU acaba no próximo ano e, caso seja renovada, o governo poderá deixar o FAT fora desse mecanismo, uma ideia que a equipe econômica rejeita.

O patrimônio do FAT soma R$ 204,7 bilhões, sendo que 75% desses recursos estão emprestados ao BNDES para financiar projetos de infraestrutura remunerados pela Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP), que está congelada em 5% ao ano. O restante dos ativos está aplicado no Fundo BB Extramercado, em depósitos especiais e em linhas de crédito destinadas a programas de geração de emprego e renda oferecidos pelos bancos públicos.
Como o retorno das aplicações não tem sido suficiente para fechar as contas, o FAT passou a depender cada vez mais do Tesouro Nacional, que também está com o caixa apertado e precisa cumprir a meta de superávit primário (economia para pagar os juros da dívida). Assim, o Tesouro autorizou o Codefat a usar o excedente da reserva mínima obrigatória, de R$ 25 bilhões, que faz parte do patrimônio do FAT, e agora não há mais gordura para queimar.

FAZENDA QUER MUDAR CALENDÁRIO
Na reunião para aprovar a proposta orçamentária do FAT de 2015, marcada para quarta-feira, os representantes do Ministério da Fazenda devem fazer uma proposta polêmica: alterar o cronograma de pagamento do PIS para evitar a concentração dos pagamentos no primeiro mês do calendário, quando os trabalhadores com conta em banco e de empresas conveniadas para crédito em folha recebem o benefício.

O gasto estimado para julho, primeiro mês do calendário, é de quase R$ 8 bilhões, de um total de R$ 16,7 bilhões. A Fazenda quer que o Ministério do Trabalho cumpra o cronograma de acordo com a data de nascimento dos trabalhadores.

Os representantes dos trabalhadores no Codefat não concordam com a alteração no pagamento do abono. Para atenuar o rombo do FAT, eles defendem que o governo adote medidas para inibir a alta rotatividade no mercado de trabalho e, assim, reduzir os gastos com seguro-desemprego, estimados em R$ 35,2 bilhões neste ano.

O PIS VAI ACABAR? Veja o Comentário de Miriam Leitão sobre o Assunto:

Compartilhe esta Notícia com Seus Amigos:

Resumo: Governo Pretende Acabar com PIS PASEP nos Próximos Anos. Ultimas Notícias do Calendário PIS 2016 veja tudo sobre Governo Pretende Acabar com PIS PASEP nos Próximos Anos.

Comente com o Facebook:

9 comentários:

  1. essa dilma EO PT DESTRUIRAM O BRASIL BANDO DE LADRÃO CORRUPITO QUE JUNTOS COM ESSES DOIS . VÃO PRO INFERNO E QUE DEUS CARTIGUE ELES DURAMENTE E QUE VÃO DIRETO PRO INFERNO PQ O POVO NÃO TEM CULPA DA ROUBALHEIRA QUE O PT E SEUS LOBOS CARNIVERO FIZERAM

    ResponderExcluir
  2. esses caras no roubam e depois nos tiram um dos poucos benefícios que nos pobres temos. o brasil deveria parar e fazer a pior manifestação da que ouve

    ResponderExcluir
  3. O que eles roubam tdos os dias isso ninguém devolve...tava demorando

    ResponderExcluir
  4. Porq não corta os salários de muitos aí no poder ,concretizar não vai fazer muita diferença,o tanto q eles roubam.agora pra nós trabalhadores q ,temos os nossos salários contadinhis para pagar as contas no comesso do mês .bando de vagabundos acabando com nosso país ,piorando ainda mais a nós trabalhadores.

    ResponderExcluir
  5. Isso se dá pela falta de união dos brasileiros, se todos nós unissimos e parassemos o país iriam ver que dependem de nós para o Brasil movimentar. Nós temos que trabalhar até quase a morte para aposentar mos, já os políticos são dois mandatos consecutivos que significa oito anos estarão aposentados curtindo a vida, mas o brasileiro se cala para essas coisas por isso softemos. Trabalho na área da educação e fico indguinado quando vejo político sem estudo receber mais que um professor que é o berço da nação. Simplesmente ridículo

    ResponderExcluir
  6. logo logo eles estarao dando tapinhas nas nossas costas,e pedindo votos vamos dar o troco nas urnas.

    ResponderExcluir
  7. já não basta o tanto de imposto que pagamos, são tanto roubo que esses povos faz com os trabalhadores já ganhamos micharia que nao eatamos conseguindo fazer a compra todo mes direito, ai vem esses governados se achando que pode mudar o mundo.vcs governadores vive bem le? pois é mas uma Pessoa que recebe um salário mínimo tem q fazer muitas coisas para o dinheiro da para pagar aluguel água, energia, gás impostos e muito mas coisas, quantas pessoas estar sendo prejudicado ja esse ano por não ter o pis e agora vem com essa onda de vcs q vai economizar bilhões tirando definitivo o pis

    ResponderExcluir
  8. já não basta o tanto de imposto que pagamos, são tanto roubo que esses povos faz com os trabalhadores já ganhamos micharia que nao eatamos conseguindo fazer a compra todo mes direito, ai vem esses governados se achando que pode mudar o mundo.vcs governadores vive bem le? pois é mas uma Pessoa que recebe um salário mínimo tem q fazer muitas coisas para o dinheiro da para pagar aluguel água, energia, gás impostos e muito mas coisas, quantas pessoas estar sendo prejudicado ja esse ano por não ter o pis e agora vem com essa onda de vcs q vai economizar bilhões tirando definitivo o pis

    ResponderExcluir

 
Top